• Teresina, 23/09/2021
  • Tempo Hoje: 25° | 25°
Publicidade
Publicidade

GOVERNADOR WD FARÁ O SEU SUCESSOR – (II)

GOVERNADOR WD FARÁ O SEU SUCESSOR – (II)

O inteligente e preparado Secretário da Fazenda e presidente do Confaz – Conselho Nacional dos Secretários da Fazenda (do Brasil), Rafael Fonteles, já está na rua como o eventual candidato do PT e dos partidos coligados ao Governo do Estado. E, com muito fôlego, coragem e determinação percorrendo de Norte ao Sul do Estado. Rafael tem uma característica importantíssima: tem vontade e quer ser Governador e trabalha com este objetivo. E age como se já estivesse aprovado pelo seu partido e a coligação e com o apoio fundamental e essencial da Vice-governadora Regina Souza – a peça essencial no evento eleitoral de 22. E Rafael só será eleito com esse embasamento político impostergável de Regina, mas compreendo que ela não será entreve à eleição de Rafael, embora podendo ser candidata também, entretanto, Regina obedece a orientação partidária, desde que seja também; considerada em toda essa história. Contudo, ninguém queira fazê-la de maria vai com as outras!... Ela jamais se prestará a esse papel e quem mais sabe disso é o Governador Wellington amigo de longa data de Regina. E sabe do seu caráter, da sua conduta, da sua capacidade de interação, negociação, conciliação, transação política e reconciliação. E mais que isso: de sua personalidade.



Portanto, entendo eu, se Rafael está na rua se articulando, muito bem, com vereadores, prefeitos, deputados federais e estaduais, com lideranças, é porque terá tido uma conversa prolongada e sensata com Regina. Pois, ninguém é mais imprescindível ao evento eleitoral de 22 que Regina, posto que, o Chefe do Poder Executivo Estadual, no período eleitoral, pois assumirá com a saída de Wellington.

          

  Dentro desse cenário, acima relatado, o Governador Wellington Dias fará o seu sucessor e deverá ser Rafael Fonteles; bem assim Wellington se elegerá Senador e será eventual candidato ao governo estadual em 26.

          

  E as oposições? As oposições perderam o apoio do ex-governador Wilson Martins (PSB) que se reintegrou à coligação do Governador até pouco tempo distanciados.

          

 O suicídio prematuro, trágico e lamentável de Firmino Filho (PSDB) também desfalcou profundamente as oposições; ficando Sílvio mendes, também do PSDB, para reorganizar o partido e liderá-lo. Mas Firmino era o proeminente líder do partido, embora sem projeção no interior do Estado.

         

   Entretanto, com a eleição de Dr. Pessoa, o PSDB minguará na Capital aliado à morte de Firmino.

         

   O Dr. Pessoa é um líder populista que liderou as eleições na Prefeitura com as suas danças de gafieira, traço comum e indelével de sua vida partidária e foi o fato preponderante na sua vitória. Embora a aliança com o deputado Themístocles e o presidente da Câmara Municipal, vereador Jeová Alencar.


O povo humilde gosta intensamente de Pessoa. E essa intercorrência de sua vida política partidária é o principal instrumento de sua vida política para ganhar uma eleição. Ninguém o suplanta, talvez o prefeito de Parnaíba, Mão Santa, com o mesmo estilo, também populista.


E o Senador Ciro? Ciro é o maior líder das oposições no Piauí. E ter assumido a Chefia da Casa Civil da Presidência da República o fortalece mais ainda. E, nesse cargo, Ciro ainda é candidato ao Governo do Estado? Entendo como pouco provável. Deixar o certo pelo duvidoso, não é a conduta pragmática do político. Ser Governador do Piauí, dependerá de uma eleição difícil e o candidato do Palácio de Karnak está à frente, e muito, de Ciro. E é muito forte. É um desejo que se aliará a uma luta tremenda para vencer o Poder Executivo, ainda que seja Regina Souza no comando do estado.


Ciro tem uma multidão de prefeitos aliados ao seu partido – O Progressistas. Ter o apoio de vários prefeitos só me lembro da eleição de Mão Santa, em 94, com apenas quatro prefeitos, incluindo Wall Ferraz de Teresina, e Átila Lira com a maioria de apoio dos prefeitos. Quase todos abandonaram Átila e aderiram Mão Santa, sendo este o vencedor no 2º turno.


Rafael Fonteles não terá o apoio do prefeito de Parnaíba, Mão Santa, porque este não apoiará candidatos petistas. E o Dr. Pessoa ficará com quem? Como filiado ao MDB e por cuja legenda foi eleito, deverá apoiar Rafael; pois, o MDB, poderá indicar o Vice na eleição majoritária de 22, com o apoio irrestrito do Senador Marcelo Castro (MDB); embora o deputado Júlio César (PSD), muito forte, esteja na briga postulando ser Vice de Rafael.


Como já registrei em trabalhos passados, elegendo-se Rafael, como tudo indica, o PT estará no Comando da Política Partidária do Piauí até 2026, quando o Governador Wellington Dias, como Senador da República, eleito em 22, disputará a Chefia do Poder Executivo Estadual para substituir Rafael Fonteles, e ser Governador do Piauí pela quinta vez.


Evidente que há uma insatisfação de alguns prefeitos e lideranças com Wellington Dias por conta de promessas eleitorais não cumpridas; entretanto, ultimamente, o Secretário Rafael está liberando volume considerável de recursos para a construção de obras, especialmente nas áreas de saneamento (águas e esgotos) e calçamento, além de estradas quando faz a manutenção e preservação. E isso está melhorando sensivelmente os índices de reclamações dos prefeitos, vereadores e lideranças do interior. É a imagem de Rafael que está se agigantando como eventual candidato a Governador. É o seu desempenho que melhora.

 

MAGNO PIRES, Ex-Secretário de Administração do Piauí e ex-presidente da Fundação CEPRO, advogado da União (aposentado), professor, jornalista e ex-advogado da Cia. Antáctica Paulista (hoje AMBEV) por 32 anos consecutivos.

 

 

 





LEIA TAMBÉM

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Guia Comercial

Veja nossos Planos

Classificados

Anuncie Grátis

Publicidades

Fale Conosco