170 anos: Teresina primeira cidade planejada do país

O responsável pelo planejamento, foi o presidente e conselheiro José Antônio Saraiva que estabeleceu logradouros em linhas paralelas, simetricamente dispostas, todas partindo do Rio Parnaíba, rumo ao Rio Poti, principais fontes de água até hoje.


170 anos: Teresina primeira cidade planejada do país Igreja Nossa Senhora do Amparo, primeira edificação construída na cidade / fotos: Pedro Silva - Teresina Diário


Fundada há exatos 170 anos, Teresina foi a primeira cidade planejada do país. Sua origem é ligada ao Rio Poti, formado por pescadores e pequenos comerciantes. O responsável pelo planejamento, foi o presidente e conselheiro José Antônio Saraiva que estabeleceu logradouros em linhas paralelas, simetricamente dispostas, todas partindo do Rio Parnaíba, rumo ao Rio Poti, principais fontes de água até hoje.

O nome da cidade foi uma homenagem à imperatriz Teresa Cristina Maria de Bourbon, que teria sido a mediadora junto ao imperador Dom Pedro II para que a capital viesse a ser Teresina.


Sua estrutura é inspirada em um tabuleiro de xadrez e sua primeira construção foi a Igreja de Nossa Senhora do Amparo, localizada no Centro, seguida pelo antigo Palácio do Governo, atual Museu do Piauí, e o prédio da Prefeitura, pontos turísticos da cidade.

Igreja Nossa Senhora do Amparo


Com arquitetura eclética, predominantemente em estilo neogótico, a fachada principal da igreja une as torres sineiras com uma passarela com parapeito ornado em curvas sinuosas, com belíssimas arcadas de linhas curvas. Em seu interior, a igreja possui alguns poucos ornamentos, bem simplista, agraciada pela presença das imagens sacras, sendo a principal a de Nossa Senhora do Amparo, trazida de Portugal no ano de 1850, onde a mesma foi cortejada da então capela da Vila do Poty, primeira edificação construída na cidade.

Mercado Central ou Mercado Velho


O mais antigo centro comercial da cidade é um dos cartões postais para quem chega em Teresina. O lugar conserva a verdadeira tradição e cultura dos teresinenses, que se identificam com a história do Mercado Velho.

Uma das lendas mais conhecidas do Piauí é contada pelas mãos de um artista há mais de 50 anos. A misteriosa história do 'Cabeça de Cuia', um jovem amaldiçoado após agredir a mãe e viver vagando às margens do Rio Parnaíba em busca das sete virgens, é a grande inspiração do escultor José Luiz de Sousa, mais conhecido como "Seu Luíz".


“Para mim é um prazer fazer histórias com as mãos e ser referência para as pessoas. É uma profissão que leve há anos comigo e que faço questão de sempre fazer o meu melhor. Fico muito feliz em saber que as pessoas se identificam com o meu trabalho”, diz o escultor ao Teresina Diário.


Além do artesanato e esculturas, o Mercado Central é marcado por suas feiras dentro e fora do local. Uma das permissionárias, é Francisca Flávia, trabalha a mais de 10 anos com uma banca de frutas e legumes. "Para mim é um privilégio e um orgulho muito grande ser piauiense e trabalhar com o público, fornecendo frutas para a população teresinense", declara.

No local, encontramos ainda a Galeria de Artes Visuais do Mercado Velho. Diversidade de cores e expressões caracterizam o local, que tem dado oportunidade para os artistas locais. Inaugurada em 2017, fazendo parte do projeto de reestruturação do Mercado Velho, o espaço é uma vitrine de talentos, recebendo trabalhos de pintura, ilustração, escultura, instalação, fotografia, dentre muitas outras formas.

Matérias relacionadas

170 anos: Teresina primeira cidade planejada do país

Cooperativa transforma a vida de mulheres através da cerâmica

Parque das Crianças: opção de lazer para as crianças e famílias

Marco Zero, localizado no Centro de Teresina


Mãos que constrói histórias




Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login