COE-FMS passa a monitorar também a “varíola dos macacos”

O comitê é composto por profissionais de diversas áreas, como: infectologia, virologia, enfermagem, saúde pública e análise de sistemas de informação.


COE-FMS passa a monitorar também a “varíola dos macacos” Foto: reprodução


O Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Fundação Municipal de Saúde de Teresina passará a monitorar também os indicadores e os casos da chamada “varíola dos macacos”. O primeiro caso da doença no estado foi confirmado, nesta semana, correspondente a um paciente residente no município Batalha, região Norte do Piauí, mas que adquiriu a infecção em outro país. Até o momento, quatro casos suspeitos de “monkeypox” já foram notificados em Teresina – nenhum confirmado.

De acordo com o infectologista do COE-FMS, Dr. Walfrido Walmito: “Em 23 de julho, a Organização Mundial de Saúde declarou que a situação da ‘varíola dos macacos’ se configura como emergência de saúde pública de interesse internacional; ontem, os Estados Unidos declararam emergência de saúde por causa da doença”.

Desde 2020, o COE-FMS monitora os indicadores epidemiológicos da COVID-19 e subsidia a gestão municipal nas tomadas de decisão em saúde pública. O comitê é composto por profissionais de diversas áreas, como: infectologia, virologia, enfermagem, saúde pública e análise de sistemas de informação.



Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login