Luciano Coelho

Rafael Fonteles realiza reuniões para preparar a nova equipe de governo


Rafael Fonteles realiza reuniões para preparar a nova equipe de governo

O petista Rafael Fonteles foi eleito governador do Piauí com 1.115.139 votos, o equivalente a 57,17% dos votos. E a partir da próxima semana já começam as reuniões para pensar na formação do secretariado do próximo governo que começa em janeiro. Rafael já informou que vai procurar pessoas com um perfil técnico, com características e compromisso para montar a equipe de gestão do governo. Por outro lado, tem que se observar o perfil político, porque são dez partidos que apoiaram o candidato eleito. E tem vários suplentes de deputado nesse grupo. Ele deve convocar alguns dos parlamentares eleitos para compor o governo e abrir vaga para os suplentes. Mas não pensem que o governo de Rafael será igual ao governo do Wellington Dias. Rafael é o governador mais jovem já eleito no estado, tem um perfil técnico e objetivo e chega no Governo com uma nova turma, lembram do IDB, a turma do Instituto Dom Barreto, onde Rafael estudou, deve ter vez nessa gestão. 


Diferença de votos

Surpreendeu a votação que Rafael Fonteles obteve sobre o adversário dele Sílvio Mendes. Foram mais de 303 mil votos de maioria de Rafael sobre Silvio. Em Teresina, Silvio teve uma vantagem pouco superior a 20 mil votos, devido ao trabalho de mobilização feito por Rafael para reduzir a vantagem que Sílvio teria em Teresina.


Eleições familiares

Os maiores vitoriosos nas eleições foram duas famílias: a do deputado Themístocles Sampaio Filho, que foi eleito vice-governador. O filho deputado federal Marcos Aurélio Sampaio foi reeleito, e o outro filho Felipe Sampaio foi eleito a deputado estadual. O deputado federal Júlio César foi o mais votado para federal. O filho Georgiano Neto, o mais votado na reeleição para deputado estadual. E a mulher, Jussara Lima, é a primeira suplente do senador Wellington Dias.


Novatos na Alepi

A renovação na Assembleia Legislativa é de um terço das cadeiras, com novos nomes. Dr. Thales (PROGRESSISTAS) - 57.743 votos; Ana Paula (MDB) - 50.580 votos; Dr. Felipe Sampaio (MDB) - 44.256 votos; Jeová Alencar (REPUBLICANOS) - 44.095 votos; Gracinha Mão Santa (PROGRESSISTAS) - 39.515 votos; Bárbara Do Firmino (PROGRESSISTAS) - 35.276 votos; Dr. Vinícius (PT) - 33.437 votos; Aldo Gil (PROGRESSISTAS) - 29.563 votos; Rubens Vieira (PT) - 28.835 votos; Dr. Gil Carlos (PT) - 23.805 votos.


Nova reforma

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, prepara mais uma reforma a equipe de governo do Município. Ele aguardava o resultado das eleições para promover uma mexida nos assessores, inclusive ajeitando os nomes que compõem o partido dele, o Republicanos, que passam a ter mais ingerência na administração municipal. 


Dinheiro apreendido

Desde o início do período eleitoral, foram instaurados 12 procedimentos para apurar crimes eleitorais em todo o Piauí, sendo apreendidos mais de R$ 480 mil e conduzida uma pessoa. Além disso, foram deflagradas duas operações policiais, totalizando dez mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Eleitoral.


Sob nova direção

O desembargador Hilo de Almeida foi eleito presidente do Tribunal de Justiça do Piauí para o biênio 2023 - 2025, por unanimidade, em eleição realizada nesta segunda-feira (3). Hilo foi eleito por unanimidade pelos 20 desembargadores.  O vice-presidente é o desembargador Manoel de Souza Dourado. O desembargador Olímpio Passos Galvão será o novo Corregedor Geral de Justiça.


Exoneração

O Major Cláudio Pessoa pediu exoneração do cargo na direção da Superintendência de Transporte e Transito de Teresina (Strans). O motivo seria a crise no sistema de transporte e que culminou com o descumprimento na regularidade da frota rodando no dia da eleição. 


VOZ DO PODER

Até sexta-feira deve ser anunciada uma greve no sistema de transporte público, por parte dos motoristas e cobradores. O dinheiro do acordo firmado entre os consórcios das empresas de ônibus e a Prefeitura de Teresina, na época do prefeito Firmino Filho, chegou ao fim no mês de setembro. E não foram feitos novos acordos e nem pagos os subsídios pelas gratuidades e meias passagens na capital, e não terá dinheiro para manter o funcionamento da frota e o pagamento da folha dos funcionários das empresas.





LEIA TAMBÉM

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login