• Teresina, 27/06/2022
  • Tempo Hoje: 27° | 27°

Ensino domiciliar pode prejudicar desenvolvimento dos nossos filhos

O convívio social na escola é essencial para a aprendizagem e o desenvolvimento da criança. Sem falar que o texto-base aprovado na Câmara Federal, além de não ter sido discutido em qualquer comissão especial, ainda favorece a abertura de escolas informais


Ensino domiciliar pode prejudicar desenvolvimento dos nossos filhos

A Câmara dos Deputados aprovou na última quarta-feira (18) o texto-base do projeto de lei que regulamenta a prática do ensino ou educação domiciliar (homeschooling). Esse texto, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para admitir o ensino domiciliar na educação básica (pré-escola, ensino fundamental e médio), foi aprovado em regime de urgência e sequer foi analisado por uma comissão especial. Até parece que é um tema irrelevante.  

Eu sou mãe e temo que esse tipo de ensino seja realmente implantando no país, considerando a própria experiência de dois anos que tive aqui como meu filho durante a pandemia. E chamo a atenção em relação ao ensino remoto para justificar porque não concordo com o ensino domiciliar, principalmente levando em conta que mesmo com aulas on-line sendo ministradas pelos professores da escola e ainda tendo a ajuda dos pais ou responsáveis nesses dois anos, essas crianças ainda foram extremamente prejudicadas por não estarem frequentando a escola. Imaginem só nas mãos da educação domiciliar?

Ainda mais, considerando uma criança de 10 anos de idade, que só tinha 9 anos quando a pandemia começou. Não prestava atenção direito nas aulas, tinha uma dificuldade enorme de concentração, eu tinha que ficar o tempo todo ao lado para que não se distraísse, e, depois, quando íamos estudar para provas, parece que não tinha visto direito o conteúdo. Sem falar do estresse emocional que essas crianças passaram nesses dois anos. E esse é o depoimento que escuto da maioria das mães que tenho convivência.

Ainda hoje nossos filhos sofrem consequências desse “tempo perdido”, principalmente agora quando retornaram ao ensino presencial, pois a maioria das escolas continua, literalmente, empurrando uma quantidade exagerada de conteúdos, sem considerar esse prejuízo que os alunos tiveram no ensino aprendizagem. Tanto é que a maioria está tirando notas baixas. E não é só pelas notas é pelo que eles, de fato, realmente aprendem.   

De fato, pude constatar, na prática, que não tem nada melhor do que essa troca de experiências na escola. Inclusive esse convívio social, essa interação presencial entre professores, alunos e até entre estudantes de outras turmas, é essencial para o desenvolvimento da criança. Basta ver a mudança positiva que toda tem, o quanto ela evolui, seja em relação à linguagem como em relação à própria aprendizagem e maturidade, quando começa a frequentar uma escola. Esse convívio escolar é o que permite ao aluno realmente vivenciar o processo social.

Outra grande preocupação em relação ao ensino domiciliar é que, pelo texto-base aprovado na Câmara Federal, os pais podem terceirizar o ensino dos filhos, ou seja, podem contratar preceptores, mas o projeto não regulamenta a atuação desses profissionais, o que facilita a abertura de escolas informais, ou seja, que não têm a anuência ou aprovação das delegacias de educação das secretarias estaduais, responsáveis por regular e fiscalizar esses estabelecimentos. Portanto, é uma medida que representa uma verdadeira banalização de algo tão importante como é a educação.

É o que penso como mãe e pedagoga, não consigo imaginar a vida de qualquer pessoa sem uma vivência na escola, local onde, de fato, temos uma socialização bem ampla, fora do ambiente familiar. Não dá para aplaudir a aprovação do ensino domiciliar, sob a alegação de que este permite que pais e responsáveis “blindem seus filhos de supostas “ideologias” pregadas em sala de aula”. É algo absurdo até de defender, considerando os prejuízos sociais, emocionais e até de desenvolvimento que podem afetar todo o processo de ensino-aprendizagem e a própria formação da personalidade dessas crianças e jovens.  

Portanto, ao invés de criarem mais um problema que possa comprometer a educação das crianças e jovens, por que o Governo e os parlamentares não se unem para discutir soluções que visam melhorar o sistema educacional brasileiro, objetivando corrigir as falhas ou deficiências existentes, a fim de que o aluno realmente tenha uma melhor aprendizagem?

 

“Retrocesso sem precedente”, diz senador Marcelo Castro

O senador piauiense Marcelo Castro (MDB), que presidente a Comissão de Educação do Senado, criticou a proposta e disse que vai lutar para que o projeto não passe na casa. Ele considera que o ensino domiciliar é “retrocesso sem precedentes”. “Autorizar a educação domiciliar é um retrocesso sem precedentes. Como presidente da Comissão de Educação, vou lutar para que esse projeto não passe no Senado. Precisamos de investimentos e avanços na educação brasileira. O PL aprovado na Câmara tem a nossa total desaprovação!”, disse o parlamentar na sua rede social.  

 


Governo determina retorno das Aulas para segunda-feira

E por falar em aulas, a governadora Regina Sousa (PT) autorizou a reorganização do calendário escolar para a rede pública estadual de ensino de modo a garantir a sua efetivação a partir do dia 23 de maio de 2022, bem como o cumprimento dos dias letivos escolares obrigatórios aos estudantes da rede pública estadual de ensino. O decreto n. 21.079, foi publicado no Diário Oficial do Estado n. 96, da última quinta-feira (19). O governo ainda determinou o corte no ponto dos grevistas e tem a decisão do Tribunal de Justiça majorou de R$ 10 mil para R$ 20 mil a multa diária pelo descumprimento de decisão. Os trabalhadores em educação estão em greve há quase 90 dias e alegam que o governo não pagou os reajustes salariais dos anos de 2019, 2020 e 2022, compromisso imposto pela Lei do Piso, e ainda se recusa a negociar com a categoria quando não participa até de Audiência de Conciliação.  

 

Eterno sofrimento para os usuários do transporte público

Assim como a greve nas escolas estaduais, continua interminável a ameaça de paralisação ou mesmo de uma nova greve no setor de transporte público da capital. Os motoristas recolheram para garagem os ônibus coletivos na tarde da última sexta-feira (20) no bairro Socopo, alegaram que ainda lutam por melhores condições de trabalho. Lamentavelmente, também continua o sofrimento da população nas paradas de ônibus: enfrentam horas de espera para ir e voltar do trabalho, ônibus lotados e paradas de ônibus depredadas.  

 

Inscrições para o Enem terminam hoje

Termina neste sábado (21) o prazo de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio/Enem.  Vale lembrar que as inscrições só podem ser feitas pela Página do Participante, sendo que é necessário ter um cadastro no gov.br: https://www.gov.br/pt-br . E a taxa de inscrição, para quem não conseguiu a isenção, deverá ser paga até 27 de maio. O valor é de R$ 85 e pode ser pago no cartão de crédito e Pix, além do boleto tradicional. As provas serão aplicadas em dois domingos consecutivos: nos dias 13 e 20 de novembro.

 


Campanha para doação de órgãos

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) lançou a campanha "SBU pela doação de órgãos" para incentivar a doação de rim e esclarecer os procedimentos. Segundo o órgão, a pandemia de covid-19 impactou a realização de transplantes no Brasil. Em 2021, o índice de transplante renal de 22,4 pmp (número de transplantes por milhão de pessoas) ficou 26% abaixo da taxa anterior. De acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), 15.640 pacientes ingressaram na lista de espera por um rim em 2021, dos quais 3.009 faleceram.

 

Nota de pesar

Nossa solidariedade à família do prefeito de Pedro II, Alvimar Martins (PP), que faleceu aos 65 anos depois de lutar contra o câncer. Ele já estava internado no Hospital da Unimed em Teresina desde o último dia 13, inclusive chegou a ser intubado depois de complicações respiratórias e uma infecção generalizada. Alvimar Martins era muito querido na cidade e em toda região, chegou a ser eleito prefeito do município quatro vezes. A vice-prefeita, Betinha Brandão, decretou luto de 8 dias na cidade.   

 

Missa se sétimo dia

Na próxima segunda-feira (23) acontece a celebração da missa de sétimo dia de Tainah Brasil, filha do jornalista Marcelo Rocha. A missa será celebrada, às 19h30, na Igreja Paulo IV. A analista de sistema foi morta com sete facadas depois de uma discussão, quando estava na casa de uma amiga no bairro Mocambinho. Ainda chegou a ser levada para o hospital, mas acabou não resistindo.  

 





LEIA TAMBÉM

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Guia Comercial

Veja nossos Planos

Classificados

Anuncie Grátis

Publicidades

Fale Conosco