Teresina Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
11/07/2018 - 12:35 hs

Greve dos professores completa um mês com alunos sem aulas

A categoria reivindica um aumento de 6,81%, acordo esse que foi firmado judicialmente com o Estado

Por Lucas Pereira e Pedro Silva
Greve dos professores completa um mês com alunos sem aulas
Uma assembleia foi realizada para determinar os rumos da greve / fotos Pedro Silva

Há mais de um mês milhares de alunos estão sem aula nas unidades de ensino estadual, isso por conta da greve de professores e funcionários. Na pauta de reivindicação está o reajuste do piso nacional do magistério que é de 6,81% e o governo só pagou 2,95%.


Uma assembléia foi realizada na manhã desta quarta-feira (11) no Clube Social do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Publica do Piauí (SINTE-PI). Na ocasião a categoria definiu manter a greve, pois o resultado do acordo com a justiça foi desfavorável.


“Estamos aguardando a execução da ação do acordo judicial solicitando o reajuste de 6,81% para professores e de 3,15% para funcionários já a ser vigorado a partir do mês de maio, e a mesma porcentagem para funcionário em setembro. Portanto, qualquer outra proposta não atende a necessidade da classe trabalhadora e dessa forma continuaremos em greve”, salientou Paulina Almeida, presidente do SINTE-PI

De acordo com a presidente do SINTE-PI, 70% da categoria no Estado estão engajados com o movimento, percentual favorável para manter a greve.


“No início da greve a adesão foi de 100% dos professores, hoje uma média de 70% continua no movimento em todo Piauí, que consideramos forte e vai permanecer até a decisão da justiça”, explica.

Reajuste de 2,95%

No dia 28 de junho, o governo sancionou um reajuste de 2,95% aos professores, o que só contempla a inflação e não representa ganho real para a categoria.

Eles reivindicam um aumento de 6,81%, acordo esse que foi firmado judicialmente com o Estado.