Teresina Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
06/12/2017 - 17:42 hs

Ricardo Barros participará do Dia D de Combate à Dengue no Parque Lagoas do Norte

Na solenidade, marcada para 11h, serão montados estandes com aproveitamento de resíduos sólidos e depois agentes de endemia acompanharão o ministro em visitas a casas da região

Por Luciana Azevedo

Na próxima sexta-feira (08), a partir das 11h, no Parque Lagoas do Norte, o Ministro da Saúde Ricardo Barros participará do Dia D de Combate à Dengue, na capital. No evento serão montados estandes com aproveitamento de resíduos sólidos e agentes de endemia acompanharão o ministro a visitas em casas da região. Eles farão vistorias à procura de possíveis focos de mosquito. O Caminhão Verde, da Prefeitura, estará no local distribuindo mudas de plantas. 

Teresina está em situação de baixo risco para a infestação do Aedes aegypti. É o que indica o resultado do terceiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2017. A pesquisa foi executada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) na segunda quinzena de outubro.

Segundo os dados divulgados, o Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – da nossa cidade está em 0,2%, considerado satisfatório pelo Ministério da Saúde. No último levantamento, realizado no primeiro semestre, o resultado foi 1,3%. “Os números do LIRAa seguem uma curva de aumento no início do ano, com ápice nos meses de maio e abril”, explica Joaquim Gomes, da Gerência de Zoonoses da FMS. “Logo após o fim da época das chuvas, é esperado um aumento no índice de infestação, que sofre uma queda na época na estação seca”, informa.

Em 2017, até o momento, foram confirmados 2.634 casos de Dengue em Teresina; 2.533 casos de Chikungunya e nenhum caso de Zika. Em 2016, foram confirmados 2.878 casos de Dengue, 1.141 casos de Chikungunya e 42 casos de Zika. 

“Até novembro de 2017 foram visitados 1.028.941 imóveis em Teresina. Na capital, temos, aproximadamente, 325.865 imóveis. Em cada ciclo os imóveis são revisitados. A FMS está realizando o sexto ciclo de visitas domiciliares deste ano. E ainda existem alguns imóveis que são visitados duas vezes por mês, os chamados pontos estratégicos (são aqueles locais como cemitério, oficina, borracharia, ferro velho)”, Explica Joaquim Gomes.

Com o intuito de proteger a população contra o Aedes aegypti, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina realiza um trabalho com um objeto que pode se tornar um dos principais pontos de reprodução do mosquito: os pneus usados. Em Teresina, este material é recolhido diariamente e enviado para uma empresa de reciclagem, por meio de convênio com a Prefeitura de Teresina. Em 2016, foram 95.783 pneus recolhidos. Em 2017, foram 82.660 pneus recolhidos.

 Os pneus merecem atenção especial por sua capacidade de acumular água parada, ambiente de criadouro do mosquito transmissor da zika, dengue e chikungunya. Pensando nisso, a FMS mantém dois caminhões, além dos carros de supervisão dos agentes de endemias, percorrendo diariamente vias, logradouros públicos e cerca de 300 pequenas borracharias cadastradas para recolher este material.

 












Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*