Teresina Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
06/12/2018 - 12:10 hs

TRT/PI conquista o Selo Ouro do CNJ pelo terceiro ano consecutivo

Do ramo da Justiça do Trabalho, 14 TRTs conquistaram o Selo Ouro

Por Cristiane Ribeiro
TRT/PI conquista o Selo Ouro do CNJ pelo terceiro ano consecutivo
O desembargador Giorgi Alan, e o Secretário Anchieta Araújo

O Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região – Piauí (TRT/PI) conquistou o “Selo Ouro”, do Conselho Nacional de Justiça, pelo terceiro ano consecutivo. O anúncio da mais nova premiação ocorreu na noite da última segunda-feira, dia 3 de dezembro, durante o XII Encontro Nacional do Poder Judiciário, realizado na cidade de Foz do Iguaçu/PR.

Do ramo da Justiça do Trabalho, 14 TRTs conquistaram o Selo Ouro. Do Nordeste apenas três: TRT do Piauí (22ª Região), TRT de Pernambuco (6ª Região) e TRT de Sergipe (20ª Região).

O Selo é concedido pelo CNJ desde 2014 aos tribunais que mais investem na excelência da produção, gestão, organização e disseminação de suas informações administrativas e processuais, cumprindo as normas de transparência. As categorias são Bronze, Prata, Ouro e Diamante. 

Além do requisito básico de encaminhamento adequado das informações, também foram avaliados o nível de informatização do tribunal, o uso de relatórios estatísticos para o planejamento estratégico e o cumprimento de resoluções do CNJ alinhadas à gestão da informação.

Entre as exigências para recebimento do Selo Justiça em Números está ainda a implantação de núcleos socioambientais, conforme previsto na Resolução CNJ n. 201, de 2015, que determina aos órgãos do Poder Judiciário a implementação do Plano de Logística Sustentável (PLS) para reduzir o impacto ambiental de suas atividades.




“O Selo Justiça em Números foi criado em 2014 com a ideia de permitir que o Poder Judiciário se conhecesse e para que tivéssemos acesso às informações dos tribunais. Para estimular os tribunais à remessa dessas informações é que foi desenvolvido esse selo”, afirmou o conselheiro do CNJ Fernando Mattos, que conduziu a premiação.





 












Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*